Videos Relacionados

Loading...

terça-feira, 31 de agosto de 2010

A Análise do Comportamento - os níveis de seleção do comportamento

Agora que sabe-se mais sobre a Análise do Comportamento, é importante entender a forma como o comportamento humano é compreendido nessa ciência. São três os níveis de seleção do comportamento: filogenético, ontogenético e cultural.

  • Filogenético: são aqueles comportamentos com os quais nascemos, por exemplo, a resposta da pupila diante da luz. São estes os comportamentos reflexos. São selecionados ao longo da história evolutiva da espécie e todos os indivíduos pertencentes a ela os terão em seu repertório comportamental.
  • Ontogenético: são aqueles comportamentos adquiridos ao longo da vida do indivíduo, como cantar, falar, escrever. São os comportamentos operantes (operam no ambiente e produzem consequências). São selecionados ao longo da história de vida do indivíduo e cada pessoa possui repertório individual e diferente das demais.
  • Cultural: são aqueles comportamentos compartilhados com os grupos nos quais estamos inseridos, como festividades, costumes e crenças. São também comportamentos operantes mais a um nível mais complexo, pois envolvem mais de um indivíduo. São selecionados ao longo da história de vida do grupo e passados verbalmente de um indivíduo para o outro.

Sabendo disso, fica mais claro compreender o fenômeno da obesidade de acordo com essa abordagem. Entende-se a obesidade como produto desses três níveis. Um indivíduo pode ter predisposição à obesidade, como genética favorável. Ainda, ao longo de sua vida pode aprender padrões de comportamento que favoreçam essa condição, como padrão alimentar parental hipercalórico, não ser estimulado a praticar exercícios físicos ao longo da vida e etc. A nível cultural, é comum vermos comida envolvida em qualquer tipo de comemoração. A alimentação representa, em nossa cultura, muito mais do que necessidade nutricional para a sobrevivência. Comida é vista como fonte de prazer e deve estar presente em todos os momentos, ainda mais de comemoração.
A Análise do Comportamento é ampla o suficiente para compreender o fenômeno. Por isso, o psicólogo embasado por essa abordagem possui em sua atuação ferramentas as quais o auxiliam a entender as causas histórias e atuais da condição do indivíduo que sofre de obesidade e ainda entender a fundo o que mantém esse indivíduo nessa condição. Dessa forma, torna-se mais acessível estruturar intervenções de acordo com a individualidade de cada pessoa, e assim, aproximam-se mais da eficácia.

A Análise do Comportamento


A Análise do Comportamento é um campo da ciência que tem como uma de suas filosofias de base o Behaviorismo Radical de B. F. Skinner. Este autor, em seu doutoramento, estuda a teoria de John B. Watson e se interessa pela ciência do comportamento. Em seus estudos elabora o que viria a chamar de Behaviorismo Radical. Defende o comportamento ir além da relação estímulo-resposta - relação mecânica entre ambiente e organismo - como defendia Watson, trazendo para o mundo científico o conceito de comportamento operante, ou a tríplice contingência - estímulo (contexto): resposta (comportamento) -> consequência (o que mantém ou suprime essa resposta), diferenciando-o do comportamento respondente (estímulo - responsta) de Watson. Considera o objetivo de estudo de Watson impraticável e limitado, dispensando o dualismo mente e corpo e adota o estudo de eventos encobertos (ou privados) por meio do relato verbal, tais como pensamentos e emoções. Skinner afirma serem estes da mesma natureza dos comportamentos públicos, visíveis a qualquer um, portanto, passíveis de estudo científico de acordo com uma ciência natural. A diferença entre tais eventos consiste somente na quantidade de pessoas que os observam, ou seja, na audiência. Seu critério de verdade é o pragmático, o qual adota a validade do evento a partir do contexto e do indivíduo, e não a partir do consenso como utilizava Watson, que defencia um evento ser passível de estudo científico quando duas ou mais pessoas podiam o relatar de forma semelhante. Assim, o Behaviorismo Radical estuda o organismo como um todo, enfatizando o comportamento como função de eventos ambientais, contudo, sem considerar a resposta em si própria, a topografia, considerando o comportamento a relação funcional entre o organismo e seu contexto. É uma filosofia monista*, materialista** (e não metafísica), determinista*** (e não pré-determinista), interacionista****, contextualista*****, externalista****** e selecionista*******.





*Filosofia que defende não existir a separação mente e corpo. O comportamento é também um fenômeno natural, ou seja, inteiro, assim como os fenômenos da natureza. O organismo se comporta por inteiro e não somente uma parte dele.

**Filosofia que defende todos os "tipos" de comportamento serem de natureza material, ou seja, não metafísica.

***Filosofia que defende o comportamento atual do indivíduo ser influenciado por eventos que ocorreram anteriormente em sua história de vida.

****Filosofia que defende o comportamento ser uma interação entre organismo e ambiente

*****Filosofia que defende o comportamento ser fruto do contexto no qual está inserido

******Filosofia que defende o comportamento ser função de elementos do contexto do indivíduo e não de aspectos internos a ele

*******Filosofia que defende o comportamento, semelhante à evolução das espécies de acordo com C. Darwin, ser selecionado pela interação com o ambiente. Os comportamentos mais bem sucedidos, que garantam a sobrevivência da espécie e do indivíduo, tendem a permanecer no repertório comportamental deste.


domingo, 29 de agosto de 2010

Lista de Livros

A seguir, algumas sugestões de livros com temática semelhante à tratada neste blog. São alguns dos muitos disponíveis atualmente acerca da obesidade.  As informações são as disponíveis via internet.

Título: Transtornos Alimentares e Obesidade - Guias de Medicina Ambulatorial e Hospitalar
Autora: Maria Teresa Zanella;



Título: Alimento e Transformação
Autor: Jackson, E



Título: Transtornos Alimentares e Obesidade - 2ª edição
Autora: Maria Angélica Nunes



Título: Obesidade: Prevenindo e Controlando a Epidemia Global
Editora: Roca Editora



 Título: Atividade Física e Obesidade
Autor: Claude Bouchard
Editora: Manole Editora


Título: Decifrando a Obesidade – Conheça a causa e descubra o melhor tratamento
Autor: Dr. João Pinheiro
 

Título: Obesidade
Autor: Alfredo Halpern



Essa lista não esgota as opções disponíves de livros sobre o assunto.

Transtornos Alimentares e Obesidade: comentários sobre o livro


O livro organizado por Maria Angélica Nunes, José Carlos Appolinario, Ana Luiza Galvão e Walmir Coutinho contém 20 artigos sobre transtornos alimentares, como bulimia, anorexia e vigorexia,  e acerca de diagnóstico, manejo e tratamentos possíveis para esses transtornos. Sobre a obesidade, estão disponíveis outros 12 artigos que tratam da epidemiologia, etiologia, caracterização e tratamentos possíveis e atuais para essa condição. Inclui tratamento nutricional, físico, psicológico, farmacológico e cirúrgico (médico). No que diz respeito ao tratamento psicológico, em uma linguagem comum na área da psicologia da saúde, aborda, em sua maioria, o fenômeno de acordo com a abordagem cognitivo-comportamental. Essa abordagem utiliza a teoria cognitiva, com sua forma de compreender os fenômenos humanos, em união a técnicas comportamentais. Os artigos evidenciam a importância do tratamento multidisciplinar na eficácia das intervenções. Além disso, traz em anexo escalas, questionários e outros instrumentos psicológicos que podem auxiliar no diagnóstico de transtornos alimentares e de imagem corporal.

Indico o livro por tratar da obesidade de forma ampla, assim como deve ser qualquer intervenção que se pretenda eficaz. Literatura específica na área da Análise do Comportamento ainda é bastante escassa, já que há pouco seus teóricos e pesquisadores passaram a dedicar-se a conteúdos mais aplicados, considerando-se a recência da ciência analítico comportamental. Artigos são mais numerosos (ainda que poucos) do que livros e outras fontes de informação.

Referência:

Slide 1
Moreira, R. O.; Benchimol, A. K.: Princípios gerais do tratamento da obesidade. Em Transtornos Alimentares e Obesidade. 288-298. 3ª Ed. Artmed:  São Paulo.

Legislações





 Atualmente existem muitas leis e projetos de lei em favor dos indivíduos portadores de obesidade. Clicando aqui você terá acesso a vários deles, como:





  • Lei 3017/04 | Lei nº 3017 de 23 de dezembro de 2004 de Foz do Iguacu 

DESOBRIGA O CIDADÃO OBESO A TRANPOR A ROLETA DOS VEÍCULOS DO TRANSPORTE COLETIVO URBANO.  

  • Lei 4513/05 | Lei nº 4513 de 27 de julho de 2005 de São Luis 

CRIA NO MUNICIPIO DE SÃO LUIS, A SEMANA DE COMBATE Á OBESIDADE MORBIDA.  

  • Lei 5038/07 | Lei nº 5038, de 06 de junho de 2007 do Rio de janeiro

    OBRIGA HOSPITAIS, UNIDADES MÉDICAS DE ATENDIMENTO EMERGENCIAL E LABORATÓRIOS PRIVADOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO A DISPONIBILIZAREM EQUIPAMENTOS ADAPTADOS AO ATENDIMENTO DE OBESOS MÓRBIDOS/ GRAVES.

entre várias outras. A obesidade já é uma condição comum e que chama a atenção das autoridades políticas no Brasil. Desta forma, as leis tornam-se necessárias para garantir os direitos especiais que portadores de tal doença necessitam para garantir qualidade de vida e saúde.

Grupos de Apoio

A Análise do Comportamento mostra em seus estudos a importância, aqui já citada, do apoio social no tratamento da obesidade. A seguir, clicando em Grupos de Apoio você terá acesso uma página que contém diversos grupos de apoio ao portador de obesidade, com diversos objetivos e dinâmicas.

Ainda, no Rio de Janeiro existe uma ONG de apoio ao portador de obesidade:

Grupo de Resgate à Auto-estima e à Cidadania do Obeso
Av. Lusitânia, 27. Penha Circular - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: 21 -  2230-6403 / 2560-6901
Sra. Rosimeire Lima da Silva - Presidente

Igualmente, em Itabuna - BA existe a ONG Casa do Obeso que realiza reuniões mensais no auditório da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, com ações de prevenção e orientação sobre os riscos da obesidade mórbida.
 

Relato de Pesquisa 3

Behavioral Intervention for the Treatment of Obesity:  Strategies and effectiveness Data (Intervenção comportamental para tratamento da obesidade: estratégias e dados eficazes.
Levy, R. L., & Cols. (2007).

O artigo tem como objetivo evidenciar a eficácia das técnicas comportamentais no tratamento da obesidade como ferramenta adicional em intervenções gastroenterológicas. Escrito para profissionais da classe, defende o uso de tais técnicas em conjunto com a atuação costumeira para otimizar o tratamento de tal condição. Para tanto, apresenta as diversas técnicas comportamentais disponíveis na atualidade, não as esgotando. Estas são as já citadas no post sobre técnicas comportamentais. Os dados revelam a diversidade e eficácia de tais técnicas. Mostram sua aplicabilidade e objetivos, evidenciando a aplicabilidade de tais na atuação do médico enterologista.

O artigo cita de forma superficial as técnicas possíveis utilizadas no tratamento da obesidade. É interessante como levanta a eficácia e importancia de tais intervenções, porém não cita a necessidade de serem utilizadas por um profissional treinado, tal como o psicólogo analítico comportamental. Dessa forma, se utilizada de tal maneira, é esperada uma utilização superficial e ineficaz a longo prazo, já que somente cita a utilização sem que se ententa a fundo as análises necessárias para aplicar de forma eficaz tais técnicas.
Uma técnica utilizada de forma superficial seria, por exemplo, o reforçamento disponibilizado sem que antes se avalie quais aspectos na vida do indivíduo possuem função de reforço: um indivíduo que não gosta de falar em público ser chamado para falar diante de todos sobre seus ganhos ao longo do programa de emagrecimento. Sem a análise funcional, ferramenta de atuação do analista do comportamento com a qual ele busca os aspectos do contexto do indivíduo que possuem relação de dependência e previsibilidade com o comportamento da pessoa, a aplicação da técnica se torna superficial, inefetiva, a medida em que não considera as especificidades de cada indivíduo. Assim, torna-se clara a importância da utilização dessa ferramenta, já que por meio dela é possível entender as peculiaridades por trás do comportamento de cada pessoa. 

Referências:

Levy, R.L., Finch, E. A., Crowell, M. D., Talley, N. J., & Jeffery, R. W.(2007). Behavioral Intervention for the Treatment of Obesity: strategies and effectiveness data. American journal of Gastroenterology, 102, 2314-2321.